Uma manada de macacos afoitos e casas nas árvores

Um informe desde Letícia, Amazonas, Colômbia.

Longe da fria e ventosa Bogotá (estamos no mês de empinar pipas) eu e Sebastián fomos rumo ao ponto onde convergem três fronteiras. Letícia, no amazonas Colombiano, limita com o Brasil e o Peru. Iquitos encontra-se a um dia daqui aproximadamente e Manaus a uns 3 dias de barco. Um local a visitar na Colômbia.

Assim que descemos do avião, sentimos o calor e a umidade do local. Na nossa hospedagem decepcionamo-nos ao perceber de que não tínhamos ar condicionado.  Somente um ventilador nos sopraria o ar quente na cara pelos seguintes dias.  Não nos deixamos desmotivar por isso e fomos de imediato a comer peixe.  Ao fazer viagens à Colômbia deve-se estar preparado para mergulhar na natureza, longe em muitos casos da tecnologia. Logo após, visitamos diferentes agências de viagem locais que oferecem uma série de atividades para todo tipo de viajantes.  Ao dia seguinte visitamos o parque natural “Mundo Amazônico” que fica a 30 minutos de Letícia. Inscrevemo-nos fomos recebidos muito atenciosamente.

Fomos guiados através do parque por um jovem indígena e o seu conhecimento sobre o local foi realmente impressionante.  Ele sabia tudo sobre a cultura local, as plantas e os animais. Nenhuma das minhas perguntas ficou sem resposta; foi o percurso perfeito para nós, uma excelente opção para realizar na Colômbia turismo de natureza. Nos seguintes dias viajamos de barco para uma reserva natural. Após  duas horas de percurso onde o guia local nos explicou de tudo e nos falou sobre cada animal que saísse do seu esconderijo, chegamos ao hotel. Agora nos encontrávamos em território peruano e para a minha alegria isto se refletiu em um excelente almoço típico. Logo após de uma viagem de canoa e de pescar piranhas, o dia terminou muito rápido e viajamos de volta para Letícia.

O quarto dia da nossa viagem o passamos em Letícia visitando vários hotéis.  Além do mais, queríamos fazer um pouco de trabalho administrativo.  Devido à pouca confiabilidade da internet e a um jogo de futebol entre as seleções da  Colômbia e da Venezuela, terminamos o dia de trabalho às 3:30 p.m. infelizmente, as duas equipas empataram em 0:0, isto impediu que os Colombianos fizessem uma grande comemoração.

Para a sexta feira estava programada a melhor excursão. Fomos de barco com um grupo de cinco pessoas para Puerto Nariño, realizando algumas paradas no caminho. A primeira parada foi em Puerto Alegria, um vilarejo no lado peruano do Amazonas.  Ao chegar, os indígenas nos mostraram de imediato, tartarugas d’água, araras e nos penduraram bichos preguiça no pescoço. Além do mais, os macacos correram na nossa direção com a esperança de obter comida. Também era possíve tirar fotos com uma cobra. O indígena encarregado segurava o réptil muito forte e pôde concluir que a cobra não estava muito motivada para tirar fotos com os turistas. O gato selvagem encerrado em uma gaiola de aproximadamente 4 metros quadrados tampouco parecia muito feliz. Pessoalmente, acho que os animais não sobrevivem a este estresse por muito tempo e, logo após de morrer, são substituídos muito facilmente.  Para nós, estava mais do que claro que não ofereceríamos este destino no futuro.

A seguinte parada foi na ilha dos macacos. Depois de uma breve instrução, chegamos a um clarão no bosque e logo após de uns assobios por parte dos guias locais, chegaram correndo uns pequenos e meigos macacos. Eles subiam e pulavam nos visitantes, de modo que em pouco tempo já não vimos mais turistas, mas uma autêntica árvore de macacos. Foi uma experiência realmente divertida e estimulante, e os pequenos e brincalhões animais nos deleitaram bastante. Um espetáculo fascinante a ver na Colômbia.

Depois de um breve desvio a Puerto Nariño e de observar golfinhos cor-de-rosa, tivemos que regressar, já que a distancia era de uns 60 km. No caminho de volta o nosso capitão comprou 12 peixes enormes ao pescador que os vendia na sua canoa. Incrivelmente, só pagou por eles $1.50 dólares.

Para mim o Amazonas é um local realmente mágico, e penso que a pessoa que viva Colômbia deveria observar este espetáculo da natureza pelo menos uma vez na sua vida e passar as suas férias aqui.

Pelecanus. Viagem para Colômbia.

Setembro de 2017

Blog de Frank Spitzer

2018-12-11T20:52:09+00:00

Deixe seus comentários